quarta-feira, 18 de agosto de 2010

6º Sacrificio do amor.

- Algum problema senhorita? – o professor perguntou.
- Não. Nenhum. – falei.
- Então se sente e termine os exercícios ou se retire da sala.
Me sentei e voltei a copiar os exercícios. As aulas passaram muito rápido, o sinal tocou para irmos embora. Antes de irmos embora fui até a biblioteca para reservar um livro. Quando sai não havia mais ninguém na escola, fui até a saída, mais alguém segurou meu braço. Me virei para dar um tapa na pessoa, mais ele havia segurado minha mão.
- Me desculpa pelo que aconteceu na quadra. – Mark disse.
- Me solta agora garoto. Antes que eu comece a gritar. – falei.
- Você já esta gritando. – ele disse, e me soltou.
Me afastei um pouco.
- O que você quer comigo? – perguntei.
- Só quero me desculpar pelo que houve. Não sei o que deu em mim.
Fiquei um pouco desconfiada.
- Tudo bem, eu te desculpo. – falei.
- Obrigado. – ele sorriu.
E ao ver seu sorriso tudo se acalmou.
- Tenho que ir. – comecei a andar.
- Quer que eu lhe acompanhe? – ele perguntou.
- Ah.. Bom.. Acho melhor.. – comecei a falar.
- Prometo não lhe beijar.
- Esta bem. – eu sorri.. Aff porque eu falei isso. Como posso acreditar no que ele disse.
Saímos juntos da escola, fomos caminhando até minha casa que não era muito longe.
- Então você é de onde? – perguntei.
- Do norte do pais. Mas estou sempre viajando. Já conheço quase a metade de todos os paises. – ele falou calmamente.
- Serio?
- Sim. Existe lugares maravilhosos. – ele sorriu. – Um dia levarei você para conhece-los.
- O que? O que você disse? – perguntei.
- Disse que existe lugares maravilhosos. Só isso.
- Humm.
- E você é de onde? – ele perguntou.
- Só de São Paulo. Vim pra Jundiaí quando era criança.
- Já estive em São Paulo uma vez. Mas faz muito tempo.
Depois de um tempo de caminhada, paramos na frente da minha casa.
- Bom é aqui que eu moro. – falei.
- Já esta em segurança então. E eu não a beijei. – ele sorriu.
- É bom que continue assim. – sorri. – Tenho que entrar agora.
- Claro. Se cuide querida. – ele pegou minha mão e a beijou. E se afastou.
Entrei em casa, deixei minhas coisas no sofá e fui para o meu quarto, e me joguei na cama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário